FRAPIÉ, Léon

(Paris, 1863 – Paris, 1949)


Nome(s) Alternativo(s):

Pseudônimo: Frapié-Mouillefert

Biografia:

Faz seus estudos no liceu Louis-le-Grand e Saint-Louis. Em 1881 entra para a administração municipal de Paris, como funcionário da Marie do 8o arrondissement, passa em seguida para a prefeitura de la Seine, onde se torna redator principal em 1898. Sua primeira novela assinada aparece no periódico l’Art Social. Essa novela é reproduzida no jornal Marseillasse, sendo objeto de críticas elogiosas. Em seguida, colabora nos periódicos La Plume, Paix, nos quais publica seus artigos sob o pseudônimo Frapié-Mouillefert. Também publica na Revue Franco-Allemande, Petite République e Journal. Torna-se amigo de Émile Zola que o encoraja a se lançar no romance. Publica a obra: l’Institutrice de provence (1897), história verídica da vida de uma professora, dedicado à Mme. Émile Zola. Em seguida publica Marcelin Gayard (1903), romance de observação que estabelece a reputação de seu autor, e Maternelle (1904), que recebe o prêmio Goncourt. É autor da obra Deux Romans, scènes de la vie littéraire e de Sévérité, peça em colaboração com Paul Louis Garnier. Publica em 1904 a obra Les Obsédés, pela editora C. Lévy e em 1905 l’Écolière, pela mesma editora, La boîte aux gosses (1907), Les contes de la guerra (1915), La vedette à l’école (1946).

Fonte:
CURINIER, C. E. Dictionnaire nacional des contemporains etc 6 tom. 1901-1918.

LORENZ, Otto. Catalogue général de la librairie française. Tome 18, 1908 (33)


Título

Volume

Local

Editora

Ano



1